• Serginho Neglia

Em Defesa da Democracia no Facebook

Caros Amigos!


Tenho visto algumas manifestações no Facebook contra a Propaganda Eleitoral. Confesso que previa isso e, como candidato (Concorro a vereador em Porto Alegre pelo PSB), realizei várias conversas com os apoiadores sobre isso, criei uma Fan Page e um grupo fechado com meus apoiadores onde compartilho minhas mensagens e imagens. Não coloquei nenhuma imagem minha no Face logo de início para analisar melhor essa situação, pois procuro ser justo e não gosto de incomodar as pessoas, principalmente àquelas por quem tenho apreço.


"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las."

Voltaire


Porém, após alguns dias de reflexão, e quem me conhece sabe que não sou de ficar em cima do muro, ou dar o discurso fácil para agradar a todos, resolvi me posicionar sobre o assunto:


Acredito que tudo que é excessivo, até remédio, faz mal, porém não considero justo censurar ás pessoas e os candidatos. Você já leu os Termos de Uso do Face? Já Leu os princípios do facebook (http://www.facebook.com/principles.php)? O Facebook nasceu baseado no princípio da Liberdade e é uma forma democrática de relacionamento.


Reproduzo aqui o Princípio Numero 1: Liberdade para compartilhar e se conectar - As pessoas devem ter a liberdade de compartilhar as informações que desejarem, de qualquer maneira e em qualquer formato, e têm o direito de se conectar a qualquer um - qualquer pessoa, organização ou serviço - desde que ambos estejam de acordo com a conexão.


Acho que essa é uma das maiores riquezas do Face, a Liberdade, e entendo isso desde que fiz o meu perfil, primeiro optei em só aceitar convites de pessoas que conheço, não fiz como muitos que possuem diversos perfis lotados e aceitam todos que lhe acessam, também procuro não postar comentários sobre futebol e religião, nem imagens de animais mortos, violência ou toda a ordem de compartilhamentos, na verdade pouco uso o compartilhamento. Isso quer dizer que estou certo? 


Os outros estão errados?


Não! Cada um utiliza o seu face como acha melhor, ele é seu e cada um constrói sua rede com as pessoas que quiser e compartilha aquilo que quiser. Quando estou incomodado com alguém ou algo, eu excluo o perfil, bloqueio ou aciono alguns dos diversos comandos que permitem restringir as postagens, as visualizações e etc.


Por isso não concordo com aqueles que tentam censurar ou constranger os outros por causa do conteúdo que estão postando (Devemos censurar pedofilia, racismo e violência). Eu mesmo não ameacei nenhum dos meu amigos que postaram imagens contra a política na internet, não comentei e não reprimi, simplesmente respeitei. Acredito que qualquer tentativa de censura de conteúdos de um usuário pelo outro, me parece descabido, pois o usuário tenta impor ao outro um padrão e uma forma que ele acha correta, se auto declarando o “dono” do Facebook.


Acho que o usuário pode sim, e deve, se proteger de conteúdos e de pessoas que ferem seus princípios e o agridem, e para isso existem vários comandos que lhe permitem essa proteção.


Então, pelo direito a liberdade, defendo o direito das pessoas fazerem campanha contra campanha política no Facebook, e também o meu direito de fazer campanha política no Facebook.

 

Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam"

Platão


Essa frase foi elabora a mais de 2000 anos e trás uma grande verdade. Dentro do princípio da liberdade, as pessoas têm direito de não gostarem de política, mas têm de respeitar quem gosta, e mais, serão governados por eles.


Tenho defendido a maior participação das pessoas na política, pois para mim, ela quase sempre foi uma coisa boa, pois desde adolescente sempre me preocupei com o mundo a minha volta, e procurei sempre me unir aos que também se preocupavam para tentar melhorar as coisas.


A vida privada é interesse de cada um, ganhar dinheiro, ter mais ou menos luxo, se dedicar a profissão e a família, mas, fazendo política a gente tem de pensar no todo, e sempre me senti um cidadão melhor fazendo algo por meu semelhante, e não é fazendo caridade ou doação para instituições, algo que respeito, mas minha forma de ajudar é melhorar a vida das pessoas, para que elas não tenham que depender da caridade alheia, é construir uma sociedade mais justa e menos desigual.


Nunca fui um alienado, poderia ser equivocado, mas não omisso, e por estar incentivando as pessoas a participarem mais da política, não posso agora me omitir, deixando de manifestar que não concordo com a tentativa de censura no Facebook, mesmo que isso me custe alguns apoios. Pois é bom que as pessoas saibam como penso e não se enganem. Não represento um papel para conquistar o voto, não vou deixar de defender algo que acho correto por medo de perder apoio, ou voto, pois se fizer isso agora, que tipo de vereador serei?


Um vereador que tem medo de defender suas ideias, princípios e seus valores?


Não! Sou uma pessoa democrática e flexível aos bons argumentos, mas jamais alguém consegue algo comigo, com ameaças e com imposições descabidas, sou um homem do diálogo, não estou à venda e não faço qualquer negócio para conseguir um apoio.


Desculpe aqueles que tentaram me pedir para não entrar em polêmicas, pois isso pode trazer prejuízos eleitorais. Sei que hoje minha candidatura envolve uma série de pessoas que acreditam nesse projeto e que resolveram superar seus próprios preconceitos com a política, e se engajaram nesta caminhada, porem não serei verdadeiro com vocês se me acovardar perante essa tentativa de censura.


Lutei muito pela democracia neste país, e tomei muita porrada da polícia por defender os interesses dos estudantes e de coisas que acreditava, para agora, adulto, pai e avô, me calar a ameaças feitas por imagens na internet. É fácil postar figurinhas na internet, se esconder atrás de um monitor. Difícil é enfrentar os problemas de nossa sociedade, procurar as soluções, se dispor a ajudar, se engajar. É fácil reclamar em frente ao computador e a televisão. Estes dias ouvi uma frase legal: “Seja a mudança que você quer ver”.


“Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos”

 Sócrates


Eu quero ser digno da amizade das pessoas que denomino amigos, e para isso tenho de ser verdadeiro, por isso solicito aos que estão incomodados com a campanha eleitoral, e que acharem que a forma de se livrarem da propaganda política, é deixarem de ser meus amigos, me excluam do seu facebook, pois se nossa amizade for verdadeira não será isso que nos afastará, não será a diferença de opinião que destruirá os sentimentos que construímos. 


Com todos os meus amigos, tenho uma história que nos aproxima e nos irmana, até por isso os considero amigos, pois “A amizade é o conforto indescritível de nos sentirmos seguros com uma pessoa, sem ser preciso pesar o que se pensa, nem medir o que se diz (George Eliot)” .


Daqui até a eleição, são apenas 3 meses, e não serão alguns meses de afastamento virtual que haverá de destruir uma amizade construída por nós com o consentimento de Deus, pois meus amigos são presentes dele para mim e como diz um provérbio popular “Nunca foi um bom amigo quem por pouco quebrou a amizade”.

Eu jamais iria para a fogueira por uma opinião minha, afinal, não tenho certeza alguma. Porém, eu iria pelo direito de ter e mudar de opinião, quantas vezes eu quisesse"

(Friedrich Nietzsche)

Assim, queridos amigos, saibam que respeito mesmo suas manifestações, e os mais próximos sabem que cheguei a debater exaustivamente esse assunto, inclusive com pessoas especializadas e empresas, onde defendi a tese de que a propaganda eleitoral nas redes sociais poderia ser um tiro pela culatra. Várias pessoas poderão confirmar essa minha opinião, e se forem ver, posto muito pouco sobre isso, porém não posso me omitir.


Vi alguns políticos fazendo o discurso para torcida, e respeito, porem não é o meu caso, pois sou um cidadão antes de político, tenho meu direito a livre expressão, e não me envergonho de ser quem sou, não me envergonho de ser candidato, nem do meu partido, muito menos da minha história, pois se sou imperfeito, quem não é?


Quem é bom o suficiente para determinar quem é bom ou ruim, ou quem é do bem e do mal?


Não concordo quando dizem que todas as pessoas que fazem política são ruins, que são desonestos, pois conheço pessoas ocupando funções políticas que são boas, dedicadas e trabalhadoras, e conheço muitos profissionais de outras áreas, que fariam vergonha ao pior dos políticos.


A internet é uma forma democrática e gratuita de alguns candidatos, que não possuem grandes quantidades de dinheiro, assim como eu, divulgarem suas ideias e suas propostas, calar a nossa voz é favorecer aqueles que já estão no poder, que tem estrutura, ou que têm muito dinheiro para encher as ruas de placas, comprar votos, inaugurar comitês.


A censura na internet só favorece aos que estão no poder e que tem apoios de corporações, eu, assim como muitos outros, temos nossa história, nossos amigos, e uma rede social gratuita que nos auxilia a transmitir nossas ideais. Todas as ferramentas que uso, blogs, face, são gratuitos, e tentar impedir que usemos essa ferramenta é favorecer ainda mais, quem já está bastante favorecido nesta eleição. O engraçado é que para protestar acabamos por favorecer exatamente as pessoas e práticas que abominamos e que desprezamos.


Assim como compreendo as manifestações de todos, espero que compreendam a minha e desejo que possamos, com este debate, aperfeiçoar a nossa democracia, exercita-la e aprender com isso.


Grande Abraço a Todos!


"Boas pessoas não precisam de leis para obrigá-las a agir responsavelmente, enquanto as pessoas ruins encontrarão um modo de contornar as leis."

Platão

Texto originalmente publicado no Blogue Testemunha Ocular em 16.07.2012

1 visualização

© 2020 by Serginho Neglia.

criado com Wix.com

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Pinterest Icon
  • White Instagram Icon